Área restrita para imobiliárias

login

Notícias

COLUNA - O mercado imobiliário e os reflexos da pandemia

  • Marcos Willens
  • 15 de mai. de 2020
COLUNA - O mercado imobiliário e os reflexos da pandemia

Sabemos que a pandemia do coronavírus afetou praticamente todos os setores da economia, sendo o mercado imobiliário um deles.

A crise na saúde e na economia chegou justo agora: quando o segmento dava sinais de recuperação, como baixa taxa de juros e da inflação. Mas ainda faltava um elemento para o setor alavancar de vez: a melhora na renda dos consumidores.

A pandemia jogou um balde de água fria nessa expectativa: salários foram reduzidos e possivelmente teremos aumento nas demissões.

De um lado, o governo se esforça para manter baixa a taxa Selic e controlar a inflação. Por outro lado, instituições financeiras procuram propor facilidades como carência e taxas de juros mais baixas para financiamentos.

Mas nem tudo é ruim nesse cenário de COVID-19...

A qualidade dos imóveis construídos e pujança da nossa região vão minimizar os impactos desta crise por aqui.

O fato relevante neste momento é que a construção civil tem mantido o ritmo das obras. Prova disso é que foi reconhecida, desde o início como atividade essencial e com isso, o fluxo das obras segue dentro dos cronogramas.
O mercado se ajusta de acordo com a lei da oferta e procura: caso o desemprego aumente, as pessoas que se mantêm ativas financeiramente terão mais vantagem em negociação de aluguel, compra e venda de imóveis.

É esperado num primeiro momento, que a oferta se mantenha maior que a demanda. Com isso, os preços dos imóveis que já estavam interessantes, podem prevalecer com preços baixos: eis aí um momento de boas oportunidades para investimento.

E como fica o setor imobiliário neste período?

Com o isolamento social e fechamento de serviços não essenciais, sentimos os reflexos negativos nas comercializações e todos devem buscar alternativas para contornar as dificuldades.

É preciso buscar novas formas de atendimento, como WhatsApp, Zoom, Skype e Hangouts. Uma boa alternativa para fazer o cliente se encantar pelo imóvel são as tours virtuais pelos empreendimentos.

O reflexo esperado no mercado é que o comportamento do consumidor passe a ser mais especulativo. O maior acesso à pesquisa e comparação de imóveis, possibilitará que ele acesse e busque mais informações.

A mudança no comportamento do consumidor

Adotamos dezenas de novos hábitos de prevenção e higiene durante a pandemia. Mas as novas relações de trabalho, como o home office vieram para ficar e vão impactar diretamente o setor imobiliário.

Quer um exemplo?

Com o trabalho em casa, passa a não fazer mais sentido deixar uma região com excelentes índices de qualidade de vida para residir em grandes centros. Penso que no pós-pandemia, veremos um interessante movimento de pessoas dessas regiões regressando para a região. Elas estarão interessadas em alugar ou comprar imóveis na cidade. O tempo nos dirá.

Mas todas essas análises do tempo que vivemos, das nossas expectativas em relação ao futuro devem estar na pauta de nossas ações, pois esse momento VAI PASSAR.

Devemos estar preparados para um futuro totalmente diferente.

* Marcos Willens Araújo é formado em ciências contábeis, graduando em ciências políticas, pós-graduado em marketing e finanças, certificado pela ANBIMA CPA20 e pela ABECIP CA600. Atua como bancário.

Dúvidas, dicas e sugestões: [email protected]

Buscar

Faça uma pesquisa mais detalhada neste campo de pesquisa abaixo!